domingo, 28 de julho de 2013

Mini imagine Louis Hot



Esse sou eu tentando lembrar um insulto que eu ainda não tivesse usado para Zayn enquanto estou sentado nessa cadeira com Lottie passando essas porras de mulherzinha na minha cara. Irmãs… Mas era tudo culpa do Zayn que resolveu inaugurar a super casa pseudo foda nova dele e fazer uma super festa do halloween. Até então tudo bem, tudo lindo afinal festa é igual à bebida coisa que eu adoro. Mas o foda é que ele resolveu que se era pra fazer festa do Halloween era pra ir todo mundo de monstro ou algo do tipo. Eu já estava puto por ele ter convidado minhas irmãs Lottie e a Fizzy e piorou quando eu descobri que iria ter que pintar a cara. Que bosta. Mas tudo bem, lá no fundo ia ser legal. E por legal eu quero dizer “competição de quem vai fazer mais merda” afinal, o Paul foi dispensado, e Zayn convidou apenas amigos próximos. Nós, nossas irmãs, Dani e Els que apesar de não serem mais nossas namoradas continuam nossas amigas, as meninas da Little Mix, Cher, Matt, Ed… Só gente louca que ficava ainda pior com bebida. Pensando bem isso promete. Soltei o ar de novo.
- Já acabou? - perguntei irritado
- Cala a boca Louis, to terminando. - Lottie respondeu concentrada.
Quinze minutos mais tarde eu levantei da cadeira e agradeci a Deus por ter uma bunda grande ou então eu teria fraturado o osso do quadril de tanto ficar sentado. Fui literalmente chutado do quarto para minhas irmãs poderem se arrumar. Wow, a Lottie pode ser maquiadora quando crescer, fiquei um zumbi de verdade. Um zumbi lindo é claro, porém irreconhecível. Coloquei minha óbvia fantasia de Peter Pan e ficou super maneiro, acho que sou a única pessoa no mundo que pode dizer que já se vestiu de Peter Pan zumbi. Desci as escadas e me joguei no sofá esperando as duas bonitonas terminarem de se arrumar. Assustei as gêmeas que estavam assistindo televisão e acabei ficando pra assistir a maratona da Disney do HalloweenTown que me lembrava a época que a Disney era realmente boa. Bons tempos os da Hannah Montana… Será que o Zayn chamou a Miley? Louis cala a boca, ela tá noiva! Voltei minha atenção para a televisão e explicar para as gêmeas o porquê elas não podiam ir à festa comigo ocultando o fato que além de ser muito novas eu já estava quase morrendo do coração de deixar Fizzy e Lottie ir quanto mais elas. Vinte minutos mais tarde, eu já tinha visto o zilhonézimo episódio de FWP quando as duas desceram. Epa espera. QUEM SÃO ESSAS DUAS E O QUE FIZERAM COM MINHAS IRMÃZINHAS?
- Negativo. Não. De jeito nenhum. Esqueçam. Sem chance. – eu falei me levantando bravo ao ver Lottie com uma fantasia super curta de pirata sombria e a Fizzy de menina da órfã em uma versão bem mais atraente
- Na boa Louis, ataque de irmão ciumento essas alturas da vida não… - Lottie respondeu revirando os olhos e Fizzy riu
- MÃE VEM AQUI AGORA! - Eu gritei e vi minha mãe aparecer já rindo - COLOCA JUÍZO NA CABEÇA DA SUAS FILHAS, OLHA QUE INDECÊNCIA ESSAS ROUPAS.
- Se acalma BooBear, não tem nada demais com a fantasia delas, além do mais elas estarão entre amigos e com o irmão mais velho…
- É BooBear, não tem nada demais - Lottie piscou pra mim rindo.
- Será que no caminho tem alguma loja de armas? – comentei entrando no carro derrotado depois de mais algumas tentativas de fazê-las irem fantasiadas de freiras.
Chegamos rapidamente na casa de Zayn, e cara… Meu amigo soube preparar a festa. Se eu fosse menos corajoso eu não teria entrado, a casa estava mal iluminada e parecia realmente uma casa mal assombrada e eu vi minhas irmãs baterem palminhas de animação, olhei para as duas sério.
- É o seguinte, por favor, se comportem. Divirtam-se, mas tenham juízo ok? Apesar de não gostar da idéia não bancarei o irmão chato certo? – falei com o coração na mão, mas vi as duas concordando- E lembrem-se os meninos da banda são t…
- Totalmente proibidos – as duas completaram juntas
- Isso! – eu disse orgulhoso.
Saímos do carro e ofereci o braço pras duas conseguirem pisar no gramado com aqueles saltos, que em minha opinião não eram necessários tipo, ELAS FICAM QUASE DO MEU TAMANHO! Deus, porque me destes tantas irmãs tão lindas? Entramos na festa e em segundos Lottie e Fizzy se jogavam nos braços de Eleanor gritando o quanto estavam com saudades e tudo mais. Eu cumprimentei Els, Dani e Cher e fui atrás dos meninos. Cara era pra essa festa estar tão cheia assim? Não me lembro do Zayn dizer que havia chamado tanta gente… Caminhei pela casa atrás da risada escandalosa do Niall ou por alguém tomando toddynho e me surpreendi novamente com o que Zayn fez, cada ambiente da casa estava decorado com um cenário desses de filme de terror. Super maneiro. Assustador confesso, mas maneiro. Passei por uma sala que era a minha preferida, apesar de estar vazia, que reconheci como sendo originalmente o salão de jogos da casa de Zayn. Ele havia tirado as mesas de jogos para o canto e no centro tinha uma mesa dessas que normalmente usavam antigamente para sacrifícios, a iluminação do local era feita por tochas artificiais que davam um ar super macabro pra coisa. Nota mental, não deixar mais o Zayn assistir filmes de terror. Andei a casa inteira e nada, até que desisti. Voltei para onde o pessoal estava, e vi Zayn de longe na pick up de DJ como tinha que ser literalmente tocando o puteiro. Que beleza… opa, aquela ali toda gostosa de boneca assassina das coxas grossas indo até o chão é a Jesy? Acho que mais uma das LM vai ganhar um namorado da 1D… Fui falar com o Zayn vampiro que confesso tava bonitão e voltei pra pista. A festa estava boa, agitada, mas eu ainda não estava curtindo. Fui até a cozinha e encontrei um pessoal tomando shots de tequila. Entrei na festa e alguns bons quatro shots depois eu comecei a curtir a festa. Saí da cozinha com a intenção de dar uma olhada nas minhas irmãs e voltar pra pista quando paralisei. Vindo ao meu encontro no corredor estava Sininho. É, a fada. Uma Sininho extremamente gostosa e pra minha surpresa uma Sininho zumbi também. Por um momento ambos paramos nos olhando. Até que ela sorriu com um torcer dos cantos dos lábios e começou a andar até mim.
- Hey Peter - ela disse com uma voz sexy… E que eu tive a impressão de conhecer, mas acho que se eu já tivesse visto essas coxas em algum lugar eu reconheceria.
- Olá fadinha…
De alguma forma fomos parar no meio da pista de dança e epa, esse lugar não vai parar de lotar não? Quando eu cheguei eram todos conhecidos, agora eu não conseguia encontrar nenhum conhecido. Dancei por um bom tempo com a tal Sininho, e cara ela é gostosa. Digo, muito. Não me importei com quem eu conhecia ou não, foquei na garota dançando comigo, não perdíamos tempo conversando, aparentemente eu não tinha sido o único a passar pela galera da tequila. Não que isso seja uma reclamação. Nós nos divertíamos, mas foi quando uma música conhecida chegou a meus ouvidos que a mágica aconteceu, e ela nem precisou de pó de pirlimpimpim, nossos olhares se cruzaram e eu tive novamente a sensação que conhecia a garota. A puxei mais para perto pela cintura e me permiti cantar junto com a música.
- Guys like me like girls like you, and girls like you, like guys like me… – eu cantarolei rindo e arqueando uma sobrancelha ao a ver sorrir maliciosa.
Ok confesso que nunca imaginei ver malícia em uma música dos caras do BTR, até o momento que ela resolveu revidar.
- So let the games, games Begin - foi à vez de ela cantarolar, porém extremamente próxima a meus lábios e rebolando encostada a mim.  Muito encostada.
Coloquei minhas duas mãos em sua cintura, ok então. Que os jogos comecem. Sininho segurou minha nuca com uma mão e arranhou o local enquanto se virava de costas pra mim rebolando seu quadril contra o meu, eu apenas apertei sua cintura a pressionando contra mim. Sim, nós estávamos apenas dançando. Não, não dançávamos de uma maneira comportada, quando a música estava próxima do fim ela já tinha uma mão arranhando meu abdômen discreta, porém deliciosamente por baixo da minha camiseta e eu apertava sua coxa possessivamente, e então eu não agüentei e beijei seu lábios. Fogo. Foi isso que senti. Devo ter trocado um dos melhores amassos da minha vida bem ali, no meio da pista de dança com uma garota que eu não conheço, mas não me importava o nome dela quando ela tinha uma boca tão deliciosa de se beijar, e morder… e chupar. A música acabou e trocou para um Rock meio remixado, dançante, obscuro e sensual. Já disse que amo guitarras?
- Parece que dançar não é mais a coisa mais interessante pra se fazer na festa einh Peter? – a minha fada sorriu maliciosa passando a língua por meus lábios. Sexy define.
- Definitivamente não. – eu mordi seu lábio e a puxei pela cintura, fui até a escada, mas levando-se em consideração que tinha gente se comendo por ali mesmo eu duvido que tenha algum quarto vazio.
Mudei de idéia e a arrastei novamente, mas dessa vez para o salão de jogos, que estava do jeito que eu queria. Vazio. Empurrei minha fada contra a porta fechando a mesma com o peso de nossos corpos. A boca da garota em meus braços era enlouquecedoramente macia. Trocávamos beijos desejosos e molhados, e eu percebia pela maneira que ela agia seguramente que não se tratava de uma garotinha, eu estava com uma mulher em meus braços e pelo visto uma mulher que sabia muito bem o que estava fazendo. Desci meus lábios por seu pescoço brincando com minha língua por ali, senti Sininho apertar minha bunda com vontade quando passei a língua no vão entre seus seios e soltei uma risadinha, alguém acaba de realizar o sonho de milhões de garotas… Distribuí mordidas por seu colo e a escutei suspirar, ela não era mais uma garota, então eu não precisava me portar como um garotinho. Não enrolei, a qualquer momento alguém podia entrar ali, passei a mão por suas pernas enquanto continuava meu trabalho em seu pescoço e colo, deslizei minhas mãos para suas costas abrindo o zíper de seu vestido, e imediatamente o puxando para baixo de maneira que em segundos ela encontrava-se divinamente apenas com uma calcinha muito provocativa verde no mesmo tom do vestido, provocantemente rendada. A prensei na parede com meu corpo novamente, e permiti esfregar meu quadril no dela.
- Calminho aí senhor Pan, não vou ficar na desvantagem – ela disse me empurrando.
Assisti extasiado ela me guiar até chegarmos na grande mesa e arrancar minha camiseta no caminho, a peguei pela cintura colocando-a sentada em cima da mesa e me encaixei em suas pernas, esbarrei em alguma coisa quando fui apoiar as mãos sob a superfície e um sorriso dançou em meus lábios quando vi o que era. Peguei o pequeno embrulho e o abri, tirei o caramelo do embrulho e mostrei a ela sorrindo.
- Doces ou travessuras?- comentei
- Os dois- e novamente ela me surpreendeu ao segurar a minha mão e abocanhar o doce para em seguida me puxar pela nuca e me beijar.
Delicioso, sexy, excitante, eu poderia usar mil palavras pra descrever o beijo. Mas gostoso é a melhor. Nossas línguas brigavam pelo doce em uma dança sensual aonde nenhum de nós poupava mordidas, chupões e nem tão pouco lembrávamos que oxigênio existia. Quando nos separamos nossos lábios estavam inchados o que em minha opinião tornavam os dela ainda mais beijáveis e nós dois tínhamos açúcar correndo em nossas veias, juntamente com o desejo. Escutei um toque longo de guitarra que me arrepiou e percebi que teve o mesmo efeito em minha fada. A empurrei contra a mesa deitando-a e puxando seu quadril para a beirada de forma que nossos quadris ficaram encaixados. Sem pensar muito me deixei provar melhor a textura de sua pele alva. Fui puxado pelos cabelos de uma forma um pouco dolorosa porém gostosa  de volta para seus lábios que mantiveram os meus cativos em mais um beijo desejoso, deslizei minhas mãos para o vão minúsculo entre nossos corpos e sem aviso comecei a massagear-lhe os dois seios que se encaixaram perfeitamente em minhas mãos de forma que sem esforço nenhum eu conseguia beijá-la e brincar com seus seios ao mesmo tempo, e para minha total perdição fui agraciado com o primeiro gemido deliciosamente rouco da fada, sorri em meio ao beijo feliz com meu feito e talvez por isso eu tenha sido totalmente pego de surpresa quando senti meu membro ser firmemente massageado sem o menor aviso prévio. Mordi o lábio e ambos desistimos do beijo, de forma que voltei a usar a boca em seu corpo, chupei seus seios, rodeando os mamilos rosados com a língua e foi ao sugar um dos seios da fada e roçar meus lábios pela região que percebi que ela se contorcia quando minha barba por fazer se esfregava em sua pele. Sorri de lado tendo uma idéia. Abandonei minha brincadeira com seus seios e desci esfregando meu queixo até seu baixo ventre e agora sim posso dizer que escutei um gemido em alto e bom som, acho que nunca mais vou fazer a barba. Eu sabia que minha fada não curtia uma enrolação, então simplesmente fiz o que queria, desci minha boca para sua intimidade, indo diretamente a seu ponto de prazer e o sugando forte e pulando toda a palhaçada da calmaria do começo e acho que ironicamente foi a minha fada que escutou sininhos. Fiz questão de mover bastante meus lábios em sua intimidade fazendo minha barba arranhar levemente o local e pelos gemidos que chegavam em meus ouvidos eu podia jurar que estava bom, penetrei dois dedos em sua intimidade de uma vez sem parar de provocá-la com a boca e descobri que suas unhas eram maiores do que eu tinha reparado quando ela as enfiou em meu ombro, e eu a puni com chupões mais fortes que ela recebeu com verdadeiros gritos. Ela me empurrou firmemente.
- Chega de enrolação - ela me disse afobada enquanto abaixava minha calça.
Meu deus, se a boca dessa pessoa já era deliciosa de se beijar eu não tinha palavra pra descrever o quão gostosa era senti-la fazendo aquilo. E como ela sabia fazer isso. Não tinha a droga da frescura e insegurança de quase todas as garotas, ela sabia que diferente de um sorvete aquilo não iria derreter e eu não contive um gemido ao sentir sua boca trabalhando tão bem em mim, segurei-a pelos cabelos e não me contive, movi meu quadril de encontro a sua boca e novamente diferente do normal ela não tentava se afastar, ela simplesmente usava a língua para me guiar para sua garganta e os dentes para aplicar uma pressão os protegendo com os lábios, e quando eu estava perto de gozar na boca dela ela simplesmente me soltou. Fiquei um tempo fora do ar, até que ela me puxou para si sorrindo sacana.
Empurrei-a para se deitar novamente e me posicionei em sua entrada.
- Feliz Halloween – eu disse e roubei sua boca para a minha enquanto me enfiava nela de uma vez só e ganhava uma mordida nos lábios após um grito da parte de minha fada.
Assim como ela não curtia o papo do “ir com calma no começo” eu não era exatamente paciente, segurei em suas coxas afastando suas pernas o máximo. Ela não era minha namorada, não era minha amiga, eu nem ao menos a conhecia, não era carinho, era puramente sexo e eu estava adorando isso. Sininho não reclamou, apenas rebolava contra meu quadril me impulsionando a ir cada vez mais rápido, joguei a cabeça pra trás, e quando nós dois gemíamos muito alto ela me puxou para um beijo, pelo menos enquanto havia ar em nossos pulmões, o que não foi por muito tempo. Percebi ela chegar perto do orgasmo pois se contraia em meu membro tornando tudo mais delicioso, encostamos nossas testas e me segurei pra não gozar. Minha fada chegou ao orgasmo e eu saí de dentro dela pois estávamos sem camisinha. Essa garota era uma deusa. Então ela simplesmente se levantou e começou a colocar sua roupa, eu ri e fiz o mesmo. Em poucos segundos estávamos trocados e “arrumados” novamente. Nossas maquiagens estavam borradas tornando ainda mais impossível descobrir nossas identidades, eu tomei fôlego pra perguntar quem ela era mas quando terminei de fechar minha calça ela simplesmente não estava mais na sala, eu ri comigo mesmo imaginando que era melhor deixar assim. Quando saí do salão de jogos percebi que a festa já estava bem mais vazia. Encontrei com Matt que disse que os meninos estavam me procurando e que eles foram na casa da piscina pegar o resto das bebidas que estavam lá. Agradeci e me dirigi para o local indicado, quando cheguei peguei os quatro vagabundos jogados no chão bebendo cerveja.
- Fala aí bando de puta. - cumprimentei me jogando no tapete já com minha cerveja - Matt disse que vocês vieram pegar as bebidas, não acabar com elas.
- Nossa, olha só, você ainda tá vivo!- Niall comentou rindo.
- Não jamanta, sou uma projeção holográfica- dei um tapa em sua cabeça e ele riu. Nada como a cachaça pra fazer Niall rir ainda mais que o normal, o que já não é pouco.
- Mas sério Lou, onde cê se meteu?- Liam comentou
- Fala aê tigrão, pegou quem pra estar com essa cara de quem comeu o prato principal e teve a sobremesa de brinde? – Zayn comentou rindo
- Digamos apenas que viajei no pó de pirlimpimpim da Sininho - Eu comentei rindo e os meninos me olharam confusos, menos Harry que estreitou os olhos
- Lou, drogas não faz seu tipo…- Niall disse
- Não to falando de drogas, to falando que uma Sininho zumbi me levou pra voar….- Comentei meio idiota
- Ah cara me diz que você não comeu ninguém no meu quarto - Zayn fez cara de nojo
- Não, foi no salão de jogos mesmo. E cara, aquilo que é uma fada. – eu comentei bebendo a cerveja – mas ai Zayn, quando for apresentar a casa e chegar no salão de jogos, vai poder dizer “ e esse é o salão de jogos, aonde meu amigo teve a transa mais gostosa da vida dele” !
Todos os meninos riram pedindo detalhes. Menos Harry. Estranho.
- Mas e aí Lou, quem era a tal Sininho?- Liam perguntou animado.
- Não sei. Não perguntamos os nomes… Mas tenho a sensação que a conheço - respondi rindo.
- Deixa eu ver se entendi – Harry começou sério atraindo a atenção de todo mundo – Você “comeu” uma garota fantasiada de Sininho Zumbi e que você não perguntou o nome mas acha que conhece? – Harry falava baixo e de olhos estreitos me deixando confuso.
- Isso mesmo… porqu-AI CACETE HARRY FICOU LOUCO? - Gritei quando um murro de Harry acertou meu olho em cheio
- DEIXA EU TE CONTAR UMA COISA TOMLINSON SEU FILHO DA PUTA, A GAROTA QUE VEIO DE SININHO ZUMBI É A GEMMA!- Harry gritou. – É MINHA IRMÃ!
Ok, fiquei parado dando sinal de “este telefone está desligado ou fora da área de cobertura” por um tempo. Porra… fiz merda.
- Eu comi a Gemma! - eu exclamei surpreso e Liam segurou Harry que ia me socar de novo.
Até Niall explodir em risadas
- Puta que bosta Louis, só você pra fazer essas cagadas! - e o irlandês maldito continuou rindo e eu com cara de sem saber o que fazer.
- Harry eu não sabia cara…- eu tentei explicar
- Louis faz um favor pra mim CALA A SUA BOCA OU VAI FAZER O PRÓXIMO SHOW DE OUTRA DIMENSÃO PORQUE JURO QUE TE DEIXO EM COMA DE TANTA PORRAD….
- Meninos, tudo bem por aqui? – a cabeça de Lottie apareceu na porta cortando Harry.
E eu confesso que entrei em pânico quando vi Harry mudar de expressão instantaneamente enquanto avaliava a minha irmã de cima a baixo e abria um sorriso. Epa…
- Tudo sim Lottie, eu tava aqui falando pro seu irmão que ele é um boiola, acredita que uma cerveja e ele já está capenga? - Harry disse todo doce e foi minha vez de estreitar os olhos. E soltar um gemido de dor porque porra, Harry estava forte.
- Ah, eu ia chamar o Lou pra gente ir pra casa que a Fizzy tá cansada…- Lottie disse me olhando preocupada me levantei imediatamente mas Harry me empurrou.
- Sem problemas, eu levo vocês, eu dirijo melhor de qualquer maneira…- Harry riu e piscou pra Lottie.
E DOIS MINUTOS DEPOIS HARRY CRETINO STYLES SAIA DO LOCAL ARRASTANDO LOTTIE E FIZZY PELA CINTURA EM DIREÇÃO AO CARRO E EU NÃO PUDE FAZER NADA PRA IMPEDIR.


VIA:http://fanfics1dbrasil.blogspot.com.br/2013/03/imagine-hot-louis-tomlinson-2.html

UM DOS MELHORES Q EU JA LI!

2 comentários:

  1. Ai meu Deus eu ri muito no final! Adorei! Harry você é uma pessoa muito vingativa...
    kkkkkkkkkk
    Acho que se vc fizesse uma continuação ia ficar legal.
    Bjss

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkk eu ri praticamente o imagine inteiro rsrs eu ♥ os imagines do one direction

    ResponderExcluir